Painéis Fotovoltaicos - Do teto da casa ao chão da sala? Postado em: 05/05/2016 - 10:11

Quão avançado é o Brasil em questões energéticas? A forma de geração mais utilizada no país é a hidrelétrica. Apesar de sua alta eficiência, as hidrelétricas são igualmente grandes impactadoras do meio ambiente, gerando diversas ameaças à fauna e à flora de seus arredores.

Sob um ponto de vista ecologicamente correto, uma forma alternativa e sustentável de se obter energia elétrica seria a aplicação de painéis captadores de energia solar, chamados de painéis fotovoltaicos. Levando em consideração a taxa de radiação solar que incide no Brasil, a geração de energia por meios solares seria muito eficiente, além de possuir uma taxa de poluição praticamente nula.

As células fotovoltaicas destes painéis são feitas de um material semicondutor, que consegue captar e transformar a energia irradiada do sol diretamente em uma corrente elétrica. Isto significa que enquanto houver incidência de luz solar, haverá um fluxo de energia, porém sem a capacidade de armazenamento.

Esta fonte de energia, todavia, não é a mais simples e nem a mais barata de ser instalada. Uma usina hidrelétrica produz, anualmente, 89,2 GW de energia elétrica, enquanto um painel fotovoltaico (esse valor pode variar de acordo com a capacidade de cada painel) pode produzir até 972 kW no mesmo período. Em números absolutos, então, as hidrelétricas são mais eficazes. Para produzir o que uma usina hidrelétrica produz em um ano, seriam necessários mais do que 90.000 painéis fotovoltaicos, o que pode explicar, à primeira vista, o porquê de a energia solar não ser tão utilizada no país.

Não é tarefa fácil para um país em desenvolvimento acompanhar os avanços tecnológicos da mesma forma que os países desenvolvidos. Para locais onde o acesso à energia elétrica é escasso ou até mesmo nulo, a tecnologia atual oferece como possível solução painéis portáteis de energia solar, que são capazes de carregar eletroeletrônicos de menor porte, como celulares, notebooks e câmeras fotográficas.

John Hingley encontrou este obstáculo em uma viagem que realizou, em que só conseguiu manter contato com a tecnologia graças à um painel portátil de energia solar. Além de conseguir carregar seus aparelhos eletrônicos, Hingley também teve a ideia de construir um painel portátil de energia solar bem maior do que o que ele havia carregado em sua mochila.

Segundo o The Guardian, Hingley trabalhou por três anos até conseguir criar um sistema gerador de energia formado por painéis solares como os citados anteriormente, mas que possuem a capacidade de serem enrolados como um carpete. A diferença se encontra no material utilizado, que permite que os painéis sejam enrolados sem perder sua utilidade, e pode ser utilizado minutos após ter sido desenrolado.

Você consegue ver um vídeo da criação de Hingley no Vimeo da sua empresa, a Renovagem: https://vimeo.com/145871430

Como 24% do mundo vive em locais off-grid, ou seja, sem auxílio de utilidades públicas como uma rede elétrica, Hingley desenvolveu um container que possui um longo carretel destes painéis, todos ligados uns aos outros e que podem ser esticados em até cinquenta metros em apenas dois minutos. Os carpetes teriam como objetivo inicial socorrer locais atingidos por desastres onde a geração de energia tivesse sido afetada, por exércitos e estações de mineração localizadas em áreas que não possuem nenhum tipo de energia.

Talvez, em se tratando de geração de energia elétrica, o Brasil não priorize as fontes sustentáveis porque elas ainda não são economicamente mais produtivas do que outras fontes. Quando novas alternativas de energia surgem e são desenvolvidas, como os carpetes fotovoltaicos de Hingley, a reflexão que devemos fazer é o quanto estamos dispostos a degradar o meio em que vivemos em vez de nos dedicarmos a tecnologias menos impactantes. Enquanto a economia for prioridade no país, talvez esse cenário permaneça intacto e continue causando danos que podem se tornar irreversíveis.

Aliás, a foto ali em cima é licenciada para uso comercial, e foi tirada desse Flickr aqui: https://www.flickr.com/photos/demmbatz/3532646348


Ei, ficou com alguma dúvida? Quer fazer um comentário? Manda um e-mail pra gente em marketing@hpt.com.br que te colocamos em contato diretamente com o redator deste post!